Ainda o Leila I

Dezembro 18, 2014

::Pitadas::

Dezembro 16, 2014

Há 15 dias não se liga TV nesta casa. E não senti a menor falta. Ando funcionando em outro ritmo. Curioso.
—–

Quando adotei meu primeiro gato estava bem perdida e precisava de dicas de alguém mais experiente no assunto. Uma amiga que já tinha 2 gatos – o Zimba (de Zimbabwe, sempre achei sonoramente simpático) e a Nuk – me tirou  uma porção de dúvidas. Aprendi a escovar os pelos deles e perdi meus ainda possíveis receios quanto ao tema neste dia.
Hoje soube que o Zimba morreu. Era lindo, lindo. Fiquei triste.
—–

Frigideirão de shitake no alho para o jantar.
—–

Definitivamente sou aquela que passa ao largo. Nunca fiz parte da diretoria.
—–

Coisa pé-no-saco: gente que não aguenta ver o outro brilhar que tem logo que tacar uma sombra, uma nuvem, se jogar na frente.
—–

Dezembro já podia acabar, não?
—–


(Filtro – Caderno do Banco)

Lian Cherng Zhi – LINK

Dezembro 16, 2014

Esse povo que rabisca:

http://cherngzhi.tumblr.com/

Registros rápidos de tipos humanos no metrô, nos bares. Gosto imensamente do traço.

(Preciso voltar a desenhar na rua. Havia uma época em que fazia isso direto – o que rendeu boas histórias)

————————

Os registros funcionam como um álbum de retratos. Uma página rabiscada carrega em si a memória de um dia específico, das coisas que você estava pensando naquele período, da luz que entrava pela janela, daquilo que lhe levou a querer puxar o lápis. Preencher uma folha dura o tempo das sensações fixarem. Portanto um desenho traz sempre lembranças além dos meros traços.

151214

Dezembro 16, 2014

E quando o senhorzinho que lhe vendeu incensos (e nunca lhe viu na vida) olha pra sua cara e faz observações assertivas?

Dos Cadernos direto para a Carioquíssima

Dezembro 11, 2014

Reproduções impressas recém saídas do forno! Estas também estarão lá na Carioquíssima durante este fim de semana.

(Caderno de Tela)

Uma das poucas páginas que gosto deste caderno por conta das cores, da ideia.

—————————

(Caderno Leila I)

Leila I, o xodozinho da vez. Xícaras sempre renderam páginas que me agradam. E quem não precisa de uns goles de alegria diários?

—————————

(Caderno Sorteado)

Como não podia deixar de ser: as diabas. Anjos ou demônios, não importa. Ao longo de mais de 20 anos de existência elas evocam sensações diversas nas pessoas. Finalmente vão voar por aí.

—————————

(Livro Vermelho)

Equilíbrio é tema constante. O Livro Vermelho, trabalho em execução há mais de 10 anos, rende belas páginas como esta.

—————————

(Caderno Pardo)

Gatos, gatos, gatos. Não os meus, modelos que posaram tantas vezes, mas um gato branco sobre o muro. A combinação de cores e as formas simples são o que funcionam nesta página.

—————————

(Livro vermelho)

Metalinguagem. Para amantes de livros. Quem lê quem, afinal?

Caderno do Banco – fev2014 – rascunho

Dezembro 11, 2014

Uma imagem de fevereiro, uma ideia pós-show do Moska por conta do Soneto do Teu Corpo. Rascunho que não foi pra frente.

O Caderno do Banco está acabando. Vou morrer de pena.

No forno

Dezembro 10, 2014

Preparando novos prints.

———————–

E Me’shell NdegeOcello e seu baixo divino acompanham o corpo-a-corpo com o scanner.

Monocromático

Dezembro 8, 2014

Cenas de sábado no Monocromático.

——————————

Me arrebatar por músicas que nunca ouvi e me caem no colo nas horas que menos (ou mais) preciso. Algumas pedem desenhos oníricos de lugares onde nunca fui.

071214

Dezembro 7, 2014

Preciso das cores me alimentando o espírito. Mesmo com preguiça de cozinhar.

Uma salada de 5 minutos, a saber: tomate, cebola, gergelim, brócolis, manga, azeite, vinagre balsâmico, sal, pimenta-do-reino. Só.

——————–

Um dia que começou embalado por essa turma aqui, e seguiu dando espaço a boa arrumação de armário. É dezembro, o tempo urge, as pessoas se atropelam com urgências inventadas. A cada ano com menos paciência para embarcar nessa paranoia coletiva.

Por aqui quis apenas tranquilidade com meus gatos, minha filha e meus botões. E olha que estes últimos já me falam demais nas orelhas.

Carioquíssima, a feira – 13 e 14 de dezembro – SAVE THE DATE

Dezembro 7, 2014

De bobeira nos próximos dias 13 e 14?

Quer levar uma ilustração para casa? Estarei por lá nesta segunda edição levando alguns originais e reproduções para passear!

——————————————-

……

Moda, decoração, craft, gastronomia e design estão entre as áreas de atuação dos expositores, que passam por uma criteriosa seleção curatorial, de forma que apenas empreendedores criativos e originais mostrem suas criações. Além da criatividade, outros fatores importantes são as preocupações sustentáveis e sociais das grifes. A seleção é feita por Nathalie Al Jalali Moreira, publicitária com passagem pela London College of Fashion, pela área de figurino da Globo e por 15 edições da Babilônia Feira Hype.

Mais informações na página do evento.

Caderno Leila I

Dezembro 5, 2014

Azuis

Dezembro 5, 2014

11 anos

Dezembro 3, 2014

Eis que este blog completa 11 anos.
11 anos, 7 leitores, 5 deles mudos, alguns stalkers de ocasião.

You don’t know me at all

Novembro 29, 2014

A física, quem diria…

Novembro 29, 2014

Paira no ar uma sensação que funciona como energia potencial gravitacional. E eu acho ruim.

UPDATE: Até que fecho os olhos e a queda se dá. Não, não arrancou pedaço.

::Pitadas::

Novembro 27, 2014

 

Ainda dizer a alguém com a cara mais lavada do mundo que esta cicatriz foi mordida de tubarão (quase fiz isso, depois me arrependi montes de não ter feito).

——————–

Uma semana num retiro crudivorista (longa história).

——————–

Não me importar mais quando erroneamente me julgam frágil.

Bobby McFerrin, one man band

Novembro 27, 2014

Afinal, banda pra quê?

- Perguntei?

Novembro 25, 2014

(Leila I)

——————-

Camiseta “Perguntei?” – um sopro de finesse direcionado a todos os “too much information” que aporrinham por aí.

Muito útil? Muito fútil? Muito sutil?

——————-

A minha teoria do esmalte persiste: se a cor for meio esquisita pode ter certeza que vai durar mais do que o normal.

Novembro 25, 2014

(Livro Vermelho)

————————-

Comichão de dezembro tá aí. Síndrome de Balu: abrir espaço. Físico e espiritual.

————————-

As coincidências baratas, os rastros que não quero saber, a pergunta que não me interessa fazer, a curiosidade que não quero sanar, o papel no qual não me encaixo, o título que nunca quis. Quanto mais velha, mas sem paciência pra gente cri-cri, egocêntrica.

Juro que ainda faço uma camiseta onde está escrito:

- Perguntei?

————————-

Todos os lances em que eu quero ir caindo nas mesmas datas e/ou horários. Pedir um Viratempo pro Dumbledore, viu?

241114

Novembro 24, 2014

Estar com as cordas meio tom desafinadas. Um ponto fora da curva.


Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.